DRIVE-C

DRIVE-C

 

O PROJETO: OBJETIVOS E RESULTADOS ESPERADOS

A OMS estima que a prevalência de perturbações psiquiátricas na população geral seja de 15% em 2020, sendo aproximadamente de 12% a de perturbações psiquiátricas crónicas. A sintomatologia depressiva atinge atualmente, refere a OMS, cerca de 151 milhões de pessoas, tendendo a aumentar nos próximos anos, sendo apontada como a primeira causa de incapacidade nos países desenvolvidos e com repercussões no aumento das taxas de para-suicídio e suicídio. Por outro lado, a demência que pode ou não ter associada sintomatologia depressiva, tem assumido uma incidência e prevalência crescentes na Europa, devido ao envelhecimento da população.

Definimos como objetivos gerais caracterizar a população com sintomatologia depressiva e demência, em cada um dos contextos clínicos em estudo, e definir um projeto de intervenção integrado – diagnóstico, tratamento e follow up, quer no que se refere à sintomatologia depressiva quer no que se refere aos diversos graus de demência. Teremos, como resultado final, um programa de intervenção piloto a funcionar numa unidade de cuidados de referência na comunidade de cada contexto com vista a prevenir e/ou cuidar de utentes com sintomatologia depressiva e com problemas de memória – deficit ligeiro ou demência.

Resultados esperados

No que se refere ao estado de saúde da população envolvida: caracterização, sob o ponto de vista epidemiológico e clínico, da população envolvida e avaliação tanto das capacidades de autocuidado e do grau de dependência dos utentes, quanto da forma como gerem os utentes com depressão e demência o seu regime terapêutico e os sinais e sintomas.

Relativamente às intervenções de enfermagem dirigidas a pessoas com sintomatologia depressiva, deficit cognitivo ligeiro e demência, pretendem-se definir "guidelines” específicas em articulação com as orintações em vigor nas instituições.

Pertinência para a enfermagem

Assistimos, infelizmente, a um aumento progressivo da sintomatotologia depressiva nos jovens, adultos e idosos, sendo que uma grande parte dela deriva de fatores vivenciais. Na população idosa, a ausência de estimulação cognitica acelera a deterioração da memória. Verifica-se em grande parte dos utentes um compromisso do autocuidado e da capacidade de adesão ao regime terapêutico. A enfermagem, que se pretende próxima dos utentes, está bem posicionada para lidar com estas problemáticas, desenvolver estratégias apropriadas de diagnóstico e de intervenção e trabalhar com os familiares cuidadores.

Metodologia

O projeto desenvolve-se em quatro anos e possui diferentes sub-estudos, cada um deles coordenado por um investigador doutorado (Potencial cognitivo em idosos, Depressão e risco de suicídio em jovens no ensino superior, Prestador de cuidados de utentes com depressão e demência e Gestão de sintomatologia depressiva no contexto familiar). Em cada ano serão realizadas tarefas específicas: o primeiro mais vocacionado para revisões da literatura e análise epidemiológica; o segundo para a validação e/ou construção de instrumentos e início da recolha de dados; o terceiro para recolha e definição do programa de intervenção e o último para translação e avaliação das inovações no terreno. O desenvolvimento do projeto possui na sua génese a articulação de três dimensões: investigativa, formativa e assistencial. Na vertente formativa realçamos o apoio a elaboração das dissertações de mestrado dos alunos que desenvolverem a investigação no contexto do projeto. A vertente assistencial remete para a necessidade de apoiar os profissionais de saúde na implementação do projeto e na sua avaliação.

 

PARCEIROS

O projeto desenvolve-se em rede, com os seguintes parceiros:

University of West Of Scotland / Articulação com o Projeto Europeu Palliare

ULS de Matosinhos

Hospital de Magalhães Lemos

 

INVESTIGADORES DA ESEP

Investigador responsável:

- Wilson Jorge Correia Pinto Abreu (wjabreu@esenf.pt)

Investigadores:

- Carlos Alberto Cruz Sequeira (ESEP)

- Graça Maria Ferreira Pimenta (ESEP)

- Isilda Maria Oliveira Carvalho Ribeiro (ESEP)

- José Carlos Marques de Carvalho (ESEP)

- Maria Júlia Costa Marques Martinho (ESEP)

- Regina Maria Ferreira Pires (ESEP)

- Rita Costa (ESEP; UCC Senhora da Hora)

- Sandra Moreira (ESEP; UCC S. Mamede de Infesta)

- Teresa de Jesus Rodrigues Ferreira (ESEP)

- Ana Silva (Estudante ESEP)

- Daniela Santos (Estudante ESEP)

Duração

3ª fase do Projeto
Recolha de dados: terminou em Julho de 2017

4ª fase do Projeto
Publicações
« Voltar

Pesquisa
Quem é quem?
Use esta funcionalidade para encontrar informação de contacto sobre Docentes, Funcionários e Alunos.
Sondagem