NEURHIV

NEURHIV

NEURHIV
Sintomatologia neurocognitiva em idosos portadores do vírus da imunodeficiência humana: análise espacial da infeção pelo VIH, modelos matemáticos e desenvolvimento de um programa psicoeducativo para reduzir a fragilidade cognitiva


Resumo
 Este projeto está integrado no CINTESIS e conta com uma equipe multidisciplinar de investigadores com experiência em pesquisas sobre o HIV / SIDA, demência, envelhecimento e sexualidade.

A demência e o VIH constituem-se como dois graves problemas de saúde pública. Apesar da aposta na prevenção e dos recursos disponibilizados nos diversos países da UE, tem havido um declínio pouco significativo no número de novas infeções por VIH na última década. Entretanto, verifica-se uma associação entre a infeção por HIV e a ocorrência de demência. A infeção por HIV pode causar degeneração cerebral e conduzir a uma deterioração cognitiva progressiva (?HIV-associated neurocognitive disorders?) (HAND). Mesmo com a introdução de novos antiretrovirais, estes transtornos continuam a ser uma realidade.

A expectativa de vida em geral e para as pessoas com VIH continua a melhorar, bem como o período em que as pessoas se mantêm sexualmente ativas. Pessoas com limitações cognitivas têm problemas com a adesão ao
tratamento. É provável que estejam mais desinibidas e sejam também mais propensas a comportamentos de risco (por exemplo, relações sexuais desprotegidas), o que representa um risco maior de transmissão do vírus. Estudos epidemiológicos apontam para um risco acrescido de infeção em pessoas com 50 ou mais anos de idade. 

Objetivos
  • Realizar uma revisão integrativa da literatura para analisar evidências nesta área;
  • Descrever e estimar a distribuição espacial e temporal dos casos de SIDA nos idosos em Portugal (Região Norte), de 2008 a 2015; 
  • Determinar o perfil demográfico e social das pessoas idosas que vivem com infeção pelo HIV; 
  • Identificar razões para o aumento da incidência de infeção nessa população; 
  • Conceber um programa piloto envolvendo dinâmicas preventivas e promoção da adesão ao regime terapêutico em pessoas já infetadas. Muitas questões relacionadas com as HAND permanecem ainda sem resposta e é importante não limitar o debate sobre as HAND a uma perspetiva biomédica. A inovação que este estudo representa consiste em reunir esforços para prevenir a propagação do HIV por idosos infetados e identificar com maior rigor o declínio cognitivo com apoio de ferramentas específicas, incluindo análise espacial e um modelo matemático ótimo. Será elaborada uma Best Practice Statement (BPS) para melhorar a qualidade de vida de idosos infetados pelo HIV, articulando dimensões clínicas, socioculturais e promoção da qualidade de vida. O objetivo é conceber, implementar e avaliar um programa piloto baseado na BPS através de um sistema modular para prevenir a infeção pelo HIV em idosos, apoiar aqueles que estão infetados a aderir ao regime terapêutico e ter uma vida sexual mais protegida. O programa compreende uma monitorização a nível cognitivo e diagnóstico das HAND em pacientes com HIV. Serão ainda implementas medidas para preservar o autocuidado e evitar fatores que contribuam para o declínio cognitivo.
Parceiros
Escola Superior de Enfermagem do Porto
Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde
Universidade de Aveiro
Universidade do Porto
« Voltar

Pesquisa
Quem é quem?
Use esta funcionalidade para encontrar informação de contacto sobre Docentes, Funcionários e Alunos.
Sondagem