PSY-SC

PSY-SC
PSY-SC

Avaliação do distress psicológico e das dimensões espirituais em utentes portadores de doença crónica 


Resumo

A sociologia e a antropologia consideram a espiritualidade e a religião dimensões estruturantes da natureza humana. Estudos que incidem sobre necessidades de utentes com doenças crónicas enfatizam a importância da espiritualidade como necessidade a considerar nos cuidados de saúde.
Estudos recentes têm demonstrado uma relação positiva entre espiritualidade e saúde. Aldwin e colaboradores (2014) propuseram um modelo organizador sobre os processos regulatórios que poderão explicar esta relação, explorando a importância da espiritualidade para o ajustamento à doença crónica, coping e mesmo ao luto. O estudo da religião e da espiritualidade permitem um conhecimento mais completo do ser humano (Hill, Pargament, Hood, McCullough, Swyers, Larson, & Zinnbauer, 2000).
Vários têm sido os estudos que exploram a relação entre espiritualidade e saúde. Hill et al. (2000) reuniram algumas características destes dois constructos que justificam a sua importância. Religião e espiritualidade desenvolvem-se durante toda a vida das pessoas, são fenómenos psicossociais, têm relação com os processos cognitivos, afectos e emoções e são também bastante relevantes no estudo da personalidade (Gouveia, 2016). Inúmeras evidências científicas têm demonstrado a relação entre bem-estar espiritual, ajustamento à doença crónica, gestão de sinais e sintomas, promoção do auto cuidado e vivência das transições saúde-doença.



Objetivos
  • Avaliar as evidências e a produção científica sobre espiritualidade na área da saúde, designadamente em utentes portadores de doenças mentais crónicas; 
  • Descrever a vivência espiritual dos participantes envolvidos no estudo; 
  • Avaliar o nível de satisfação e perspetivas perante a vida em utentes portadores de doenças mentais crónicas; 
  • Avaliar a presença de distress psicológico nos utentes participantes no estudo;
  • Identificar correlações entre espiritualidade, satisfação com a vida e distress psicológico em utentes portadores de doenças mentais crónicas.

Instrumentos
  1.  Questionário sociodemográfico.
  2. SHALOM - Spiritual Well-Being Questionnaire (SWBQ), with scales for measuring personal, communal, environmental and transcendental spiritual well-being.
  3. Spiritual needs inventory and satisfaction with life scale (Bssing)(BMLSS).
  4. Spiritual Needs Questionnaire (SpNQ) v. 2.1 (Bussing, 2018).
  5. BSI: Inventário de Sintomas Psicopatológicos (adaptação portuguesa do Brief Symptom Inventory (BSI) de Derogatis (1982).
  6. Adesão ao regime terapêutico - Medida de Adesão aos Tratamentos (MAT) (Delgado e Lima, 2001) - Versão Portuguesa da Escala de Morisky

Cada país irá desenvolver um estudo específico, enquadrado na sua realidade cultural, como existem dimensões comuns, serão realizados estudos comparativos. Os procedimentos éticos respeitarão as regras e tradição vigentes em cada país. O estudo global facilitará uma melhor compreensão sobre o que é espiritualidade e como esta poder ser incorporada na prestação dos cuidados de saúde..



Equipa de Investigação

Wilson Abreu (ESEP / CINTESIS) (Coordinator); 
Olga Riklikiene (Faculty of Nursing, Lithuanian University of Health Sciences, Kaunas); 
Glauberto Quirino (Universidade Federal do Cariri, Brazil); 
Maryam Rassouli (Faculty of Nursing, Shahid Beheshti University of Medical Sciences, Tehran, Iran); 
Marta Čivljak (Head of the Nursing Department, Catholic University of Croatia, Zagreb) 
Anto Čartolovni (Chair of Theology, Catholic University of Croatia, Zagreb) 
Branka Rimac (Sociology Department, Catholic University of Croatia, Zagreb)
Mona Gamal (Faculty of Nursing- Sohag University, Egypt)

Consultores: 
John Fisher (University of Melbourne) 
Arndt Büssing (University Witten/Herdecke, Germany)

Integration in the European Network EPICC: http://blogs.staffs.ac.uk/epicc/epicc-participants/portugal/



« Voltar

Pesquisa
Quem é quem?
Use esta funcionalidade para encontrar informação de contacto sobre Docentes, Funcionários e Alunos.
Sondagem