Formação & Gestão

Formação & Gestão

PROJETOS DA UCP EM CURSO:

 




DESCRIÇÃO DO PROJETO

OBJETIVOS

O projeto "As Tecnologias da Informação no ensino à distância em formação organizacional” pretende desenvolver estratégias que sustentem o uso de ambientes virtuais de aprendizagem como possibilidade pedagógica no ensino de enfermagem pós-graduada em meio organizacional e tem como objetivos: Monitorizar o processo de aprendizagem da formação organizacional desenvolvida com ensino à distância; Avaliar o impacto das metodologias utilizadas no processo de formação no contexto organizacional.

Pergunta de Investigação: Será que o recurso às tecnologias, no ensino em enfermagem, pode facilitar a aprendizagem e a satisfação, considerando as especificidades da natureza do trabalho dos enfermeiros e a sua organização?

> Conhecer as necessidades formativas da equipa, no âmbito da qualidade e segurança dos processos de trabalho

> Validar a escala de competências e a escala da qualidade e segurança dos cuidados dos enfermeiros chefes e responsáveis de serviço

> Caracterizar o perfil dos enfermeiros chefes, responsáveis de serviço chefes e enfermeiros, relacionados com a utilização das TIC

> Definir os processos de criação dos Cursos

> Definir o acompanhamento e tutoria do estudante (dinâmica estudante –tutor; tempos de resposta ao estudante)

> Desenvolver um dispositivo da formação em serviço com recurso às tecnologias da informação

> Operacionalizar o planeamento do programa de formação, de acordo com o perfil tecnológico dos formandos.

> Avaliar as diferenças entre o ensino convencional e do ensino à distância.

Portugal está entre os países da União Europeia com taxa de participação abaixo da média Europeia relativamente a aprendizagem ao longo da vida. Um dos objetivos da UE para controlar este obstáculo passa por promover formação em contexto de trabalho, com parcerias entre instituições de ensino e de saúde, por forma a aumentar as competências profissionais (Europe, 2020). No sentido de contrariar a estagnação constatada ao longo destes anos e referida neste documento, importa inovar e dinamizar novas formas de aprendizagem que facilitem ultrapassar eventuais barreiras à participação na formação contínua.

Num ambiente de crescimento exponencial do conhecimento, parece fundamental o acesso ao conhecimento quando e onde os profissionais precisam dele, sendo a via informática das mais eficazes (Ministério da Saúde, 2011, p. 58). Existe alguma evidência do impacte da aplicação de tecnologias de informação na qualidade dos cuidados e na redução dos custos (Chaudhry B, 2006; AHQR, 2006; Congressional Budget Office, 2008 in Alto Comissariado da Saúde, p.58). Nos últimos anos, o ensino à distância demonstrou ser uma ferramenta fundamental na formação contínua de profissionais (Barnett, 2002).

Os avanços tecnológicos têm vindo a influenciar os processos de trabalho na saúde, inclusivamente na área de enfermagem, e a induzir mudanças nos vários contextos profissionais. No contexto da Educação, estas inovações traduzem-se na criação de Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA). A literatura revela que o valor da educação informatizada via internet, se for adequadamente desenhada, promovendo uma melhoria da qualidade dos cuidados de saúde, pode produzir mudanças de comportamento e ganhos sustentados de conhecimento, comparáveis ou superiores a formações em presença física (Fordis M, 2005). Atualmente a necessidade de investir na adoção de técnicas de ensino à distância, que possibilite e promova a autoaprendizagem, exige a implementação destas metodologias nos diferentes contextos organizacionais, instituições de saúde e de ensino.

METODOLOGIA

Estudo longitudinal, que prende desenvolver conhecimento na área de gestão em enfermagem, desenvolvido em três fases: Avaliação diagnóstica, planeamento e implementação e avaliação da formação cujo o objetivo geral é identificar os contributo das tecnologias de informação no ensino à distância como recurso na gestão em enfermagem.

No presente, a formação será desenvolvida em dois formatos, um grupo de enfermeiros terá a formação em formato tradicional, presencial, e um outro grupo será alvo de formação com ensino à distância (EAD) em temas diversificados de acordo com o diagnóstico seguindo-se as seguintes fases:

1ª Fase – Necessidades de formação expressas pelos enfermeiros e enfermeiros gestores das unidades de internamento e 25% dos Enfermeiros dos seus serviços

2ª Fase – Planeamento e implementação de programas de formação de acordo com o diagnóstico

3ª Fase – Avaliação do processo e do adquirido

EQUIPA

Investigador principal:

- Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva Martins (mmartins@esenf.pt)

Investigadores:

- Maria José da Silva Lumini Landeiro

- Maria Narcisa da Costa Gonçalves

- Rosa Maria de Albuquerque Freire

- Henriqueta Ilda Verganista Martins Fernandes

« Voltar

Pesquisa
Quem é quem?
Use esta funcionalidade para encontrar informação de contacto sobre Docentes, Funcionários e Alunos.
Sondagem