Projeto SafeCare

Projeto SafeCare



DESCRIÇÃO DO PROJETO

O projeto de investigação "Supervisão Clínica para a Segurança e Qualidade dos Cuidados” (SAFECARE) é um projeto da ESEP que visa definir um modelo de aprofundamento de conhecimentos e desenvolvimento de competências na área da supervisão e da promoção da qualidade de cuidados prestados aos utentes, tendo-se iniciado em 2011, no âmbito da parceria entre a ESEP e o Centro Hospitalar do Médio Ave.

Após a conclusão, com sucesso, do projeto realizado com aquela instituição, a ESEP assinou nova parceria, agora com a Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM). Após o diagnóstico inicial, o projeto vai entrar, agora, na sua segunda fase, com a implementação de um modelo de supervisão clínica de enfermagem (SCE) que otimize a tomada de decisão autónoma, valorizando a proteção dos clientes e a segurança dos cuidados.

De facto, a Supervisão Clínica1 potencia a discussão, pelos enfermeiros, de uma variedade de assuntos relevantes para a sua prática, num ambiente de suporte que possibilita o desenvolvimento profissional e é vista como uma oportunidade para partilhar, com os pares, problemas relacionados com o seu dia-a-dia profissional.

Neste contexto, o projeto SAFECARE a decorrer na ULSM, nos serviços de Cirurgia B, Cirurgia C e Cirurgia I, inclui, pois, três fases no seu desenvolvimento.

A primeira fase, já realizada, consistiu no diagnóstico da situação e teve como objetivos:
  • Identificar os indicadores sensíveis aos cuidados de enfermagem (i.e. dor e risco de queda);
  • Avaliar a SCE em uso na prática clínica;
  • Avaliar as necessidades em SCE relativamente aos indicadores identificados;
  • Avaliar o grau de satisfação profissional dos enfermeiros;
  • Avaliar as capacidades de inteligência emocional dos enfermeiros;
A segunda fase do estudo pretende, depois, implementar um modelo de SCE que responda às necessidades dos enfermeiros para a tomada de decisão autónoma, valorizando a proteção da pessoa e a segurança dos cuidados, convergindo para cuidados de enfermagem mais significativos para os clientes dos cuidados.

Nesta fase serão constituídas equipas de supervisão, sendo ainda dinamizada formação em SCE, nomeadamente sobre os indicadores sensíveis aos cuidados de enfermagem, previamente Identificados, e sobre todos os temas considerados relevantes pelas equipas participantes. Este processo irá decorrer com a realização de reuniões periódicas das equipas e dos supervisores.

Desta forma prevê-se que em 2018 o projeto SAFECARE entre na terceira e última fase. Nessa altura, a equipa estará em condições de avaliar a eficiência e eficácia da SCE na ULSM; de avaliar o processo de implementação do modelo de SCE na ULSM; e de relacionar o modelo de SCE concebido com a evolução dos indicadores sensíveis aos cuidados de enfermagem, da satisfação profissional dos enfermeiros e das capacidades de inteligência emocional dos enfermeiros.

EQUIPA DE INVESTIGAÇÃO

A equipa de investigação é composta pelos docentes da ESEP Luís Carvalho (PhD) e Sandra Cruz (PhD) e ainda pelos doutorandos e mestrandos Cristina Augusto (doutoranda em Ciências de Enfermagem no ICBAS, Universidade do Porto), Mariana Isabel Guedes Azevedo Silva (mestranda em Supervisão Clínica em Enfermagem na ESEP) e Susana Escudeiro de Melo (mestranda em Supervisão Clínica em Enfermagem na ESEP).

PRODUÇÃO CIENTÍFICA

// Artigos científicos:


Autores: Sílvia Teixeira; Luís Carvalho; Sandra Cruz

In Rev Rene, 17(3): 356-362

Improving the evaluation of risk of fall through clinical supervision: an evidence (2016)

Autores: Sandra Cruz, Luís Carvalho & Elsa Lopes

In Procedia - Social and Behavioral Sciences, 217: 382-388

 Clinical supervision and emotional intelligence capabilities: Excellence in clinical practice (2015)

Autores: Sandra Cruz, Luís Carvalho & Paulino Sousa

In Procedia - Social and Behavioral 171: 153-157

 Morse fall scale user’s manual: Quality in supervision and in nursing practice (2015)

Autores: Sandra Cruz, Luís Carvalho, Pedro Barbosa & Bárbara Lamas

In Procedia - Social and Behavioral Sciences, 171: 334-339

 Parental Knowledge on Breastfeeding: Contributions to a Clinical Supervision Model in Nursing (2015)

Autores: Margarida Reis Santos, Ana Paula França, Olga Fernandes & Laura Cruz

In International Journal of Information And Education Technology, 5(1): 10-13.

 Promotion of Self-Care in Clinical Practice: Implications for Clinical Supervision in Nursing (2015)

Autores: Wilson Abreu, Cristina Barroso, Maria de Fátima Segadães & Silvia Teixeira

In International Journal of Information And Education Technology, 5(1): 6-9.

 Improving Quality in the Patients' Risk of Fall Evaluation through Clinical Supervision (2014)

Autores: Sandra Cruz, Luís Carvalho, Bárbara Lamas & Pedro Barbosa

In International Journal of Information And Education Technology, 4(6): 526-530.

 Clinical supervision: priority strategy to a better health (2013)

Autores: Sandra Cruz, Luís Carvalho & Paulino Sousa

In Procedia - Social and Behavioral 112: 97-101

 Clinical supervision in nursing: the (un)known phenomenon (2012)

Autores: Sandra Cruz, Luís Carvalho & Paulino Sousa

In Procedia - Social and Behavioral 69: 864-873

 Clinical supervision in nursing: effective pathway to quality (2011)

Autores: Sandra Cruz

In Procedia - Social and Behavioral Sciences, 29: 286-291


// Livros:

 Escala de quedas de Morse: Manual de utilização (2015)

Autores: Pedro Barbosa, Luís Carvalho & Sandra Cruz

Edição: ESEP


// Conferências - Livros de resumos:

 II Congresso Internacional de Supervisão Clínica (2015)

Livro de Comunicações & Conferências

Coord. editorial: Cristina Barroso Pinto & Fátima Segadães

Edição: ESEP

I Congresso Internacional de Supervisão Clínica (2011)

Da qualidade da formação à certificação de competências - Livro de comunicações e resumos

Autores: UNIESEP

Edição: ESEP


// Teses de doutoramento:

 Do AD HOC a um modelo de supervisão clínica em enfermagem em uso (2012)

Autor: Sandra Cruz

 

// Dissertações de mestrado:

 Avaliação do risco de queda: contributos para a implementação da supervisão clínica em enfermagem (2016)

Autor: Mariana Silva

O impacto da implementação de um modelo de supervisão clínica em enfermagem na avaliação do risco de queda (2015)

Autor: Elsa Lopes

Implementação de um modelo de supervisão clínica em enfermagem: impacto na organização (2014)

Autor: Erica Monteiro

Supervisão clínica em enfermagem para a segurança e qualidade dos cuidados: perspetiva dos supervisionados (2014)

Autor: Ana Cristina Rocha

Implementação de um modelo de supervisão clínica em enfermagem: perspetivas dos supervisores (2013)

Autor: Paula Borges

Manual de utilização da escala de quedas de morse: contributo para a supervisão clínica em enfermagem (2013)

Autor: Pedro Barbosa

Autocuidado: contributos para um modelo de supervisão clínica em enfermagem (2012)

Autor: Sílvia Teixeira

Risco de queda: contributos para um modelo de supervisão clínica em enfermagem (2012)

Autor: Bárbara Lamas

 Competências parentais na amamentação: contributos para um modelo de supervisão clínica em enfermagem (2012)

Autor: Laura Cruz

Autocuidado como indicador de qualidade e segurança dos cuidados: contributos da supervisão clínica em enfermagem
Autor: Ana Mafalda Pinto Ferreira


1 A Supervisão Clínica é considerada um sistema de apoio bem estabelecido para enfermeiros em países como o Reino Unido, a Austrália, a Nova Zelândia e países da Escandinávia. Em Portugal, a Ordem dos Enfermeiros definiu o conceito de Supervisão Clínica como "um processo formal de acompanhamento da prática profissional, que visa promover a tomada de decisão autónoma, valorizando a proteção da pessoa e a segurança dos cuidados, através de processos de reflexão e análise da prática clínica” (Ordem dos Enfermeiros. Fundamentos, processos e instrumentos para a operacionalização do sistema de certificação de competências. 2010. Lisboa: OE, p. 5), atribuindo-lhe significado no contexto do novo Modelo de Desenvolvimento Profissional.



« Voltar

Pesquisa
Quem é quem?
Use esta funcionalidade para encontrar informação de contacto sobre Docentes, Funcionários e Alunos.
Sondagem